Afinal, quem é o Pai Natal e o que é o Natal?

O Pai Natal é a figura mítica da cultura ocidental que trás presentes para todas as pessoas. Mas, nem todas as culturas olham para o alegre senhor de barba branca da mesma forma.

Imagem de Thomas Ulrich por Pixabay

A tradição mais conhecida do pai natal está associada a São Nicolau, arcebispo de Mira, Turquia, que distribuía ajuda financeira aos carenciados, colocando sacos de moedas pela chaminé. Foi na Alemanha que ganhou destaque e associasse ao Natal, depois da sua beatificação. 
Pessoalmente, eu acredito que a figura do Pai Natal, tal como a conhecemos, foi um estratagema católico para demolir a tradição Wicca que se fazia sentir nas regiões nórdicas da Europa.
Diz a tradição Wicca que o Pai Natal seria um bruxo com grandes poderes, também conhecido como YULE. Yule, é o deus da luz, é celebrado o seu nascimento a 21 de dezembro, altura do Solstício de Inverno. 
Reza essa lenda que a Deusa engravida de Deus e que gera a luz um menino que trará a Luz ao mundo. Alguma similaridade com alguma religião? É algo interessante de se analisar, já que o nascimento de Jesus Cristo, é muito envolto nesta tradição: uma virgem que engravida e dá à luz o Filho de Deus. Mas, também encontramos semelhanças com outras crenças mais antigas, como Ísis no Antigo Egipto, ou em Roma com Diana, que acabou por convergir a religião politeísta que existia no império, com a religião cristão que se propagava por todos os lados, dando assim a figuram de um Deus, que engravida Maria, uma virgem, e dá à luz Jesus, conferindo-lhe um papel de deusa séculos mais tarde.
Na Igreja Primitiva, não era tradição a troca de presentes, nem era celebrado o nascimento de Jesus. Sim, não era celebrado, porque, para os cristãos primitivos, a morte de Jesus tiria mais significado, dado que este era o propósito da sua vinda ao mundo, para se assumir como o cordeiro pascal da tradição judaica para expiar os pecados da humanidade. 
Só na tradição Wicca é que encontramos essa troca de presentes durante o solstício de Inverno, para celebrar a dádiva do Deus e da Deusa.
Outras das coisas interessantes que encontramos associada à tradição natalícia, são as cores. Estamos habituados a ver um pai natal de vermelho, num cenário branco, com uma árvore com luzes e neve. Se olharmos para a tradição Wicca, encontramos cores com significados. Vejamos:
  • vermelho, simboliza o sangue menstrual e a força de vontade de viver
  • branco, a pureza
  • preto, a cor do sagrado feminino
  • o verde a natureza
Pondo em consideração estes aspetos, podemos notar que as veste do pai natal são vermelhas, dado que a sua mãe, a deusa, seria virgem e representaria o sangue virginal desta.
Para além disso, tem as barbas brancas, simbolizando a pureza, o cinto e as botas pretas, que faz a devida homenagem à sua mãe.
Não podemos esquecer a cor verde, dado que há um pinheiro sempre presente, onde são colocadas as luzes, símbolo desse deus Yula, e da presente estrela que representa a magia.
Depois, dado ao fato de Yula ser associado a um feiticeiro, ou bruxo, é normal que ele possa voar na sua vassoura. E como é fantástico que o pai natal voe num trenó, já para não falar das suas habilidades mágicas e capacidade de se comunicar com os animais. 
Outro fato interessante é o da rena, que é o animal do pai natal. E não é que os feiticeiros têm um animal, que é considerado o seu guia espiritual?
Reparem que, o Natal, tem mais pontos em comum com o Wicca do que com o Cristianismo em si. No entanto, para se dominar os povos que seguiam uma tradição Wicca, era necessário haver uma história que se encaixasse nas suas tradições. História essa, que o nascimento de Jesus preenchia na perfeição.
Por isso, Natal não é quando se quiser, mas, sim o que se quiser, já que pode ter o significado que cada um quiser. Só não se pode confundir Natal com solstício de Inverno, pois são assuntos diferentes.

Comentários