Exorcismo: quando a ficção se torna real

1280px-Pronze_panel.jpg


Os exorcismos são uma prática milenar em várias culturas. Em todas elas, o individuo fica que está possuído por uma entidade maligna, é submetido a um ritual que expulsa o mal do corpo. O Mal, não implica que seja o Satanás (e o nome significa adversário, mas, fica para outra altura a explicação) é sempre de origem espiritual, interferindo com a alma e a vontade da pessoa, podendo até mesmo controlar corpo e mente.


O que é certo é que o tema tem ganho destaque, não só com a partilha de informação na Internet, mas, também, com o surgimento de filmes e séries, que, como seria de esperar, tornam a possessão numa imagem bastante fantasiada.


Segundo o relato de vários exorcistas e psiquiatras que assistiram, nenhum registou uma aparência cinematográfica. As vítimas apresentavam sinais e sintomas que são, sem dúvida, muito idênticos aos sintomas de perturbação mental.


É neste aspeto que surge a discussão cientifica e religiosa. Como distinguir uma possessão de uma doença mental? Segundo exorcistas e psiquiatras que acreditam na possessão, não existe uma forma cientifica capaz de determinar isso, pelo que passa por uma análise profunda do individuo e pelo momento em que o tratamento psiquiátrico não está a resultar.


Isto levanta um problema na avaliação do paciente: poderá o médico e o exorcista terem sido vitimas da ilusão da possessão? Há vários casos em que terapeutas acabam convencidos que a ilusão dos seus pacientes é real. Isso acontece quando não se consegue encontrar explicação para alguns sintomas ou aspetos. É nesse momento que o médico / terapeuta / exorcista embarca no delírio.


Por outro lado, é uma forma de se estabelecer uma renda bastante considerável e que permite estabelecer um estilo de vida. Acredito que muitos desses médicos e exorcistas seja no fundo sociopatas que exploram as debilidades mentais de muitos pacientes.


Não quero com isto invalidar a possibilidade de existirem possessões genuínas.


Segundo alguns exorcistas existem dois tipos de possessões: as que há controle do corpo e as que apenas há um controlo mental. Quando há controlo do corpo o individuo perde o controlo total do que faz, dando lugar à entidade o controlo temporário ou total do seu corpo. Já no controlo mental, não existe uma possessões corpórea, mas, uma influência na mente através de sugestões.


E como saber se de fato o individuo foi movido por uma sugestão espiritual para agir daquela forma? Recordo-me do caso do Renato Seabra que quando assassinou Carlos Castro declarou em tribunal que ouvia vozes, dando à defesa a oportunidade de distúrbios mentais. Colocando de lado a nossa tendência em julgar e usando a nossa tendência de investigar, como poderemos avaliar se de fato foi uma influência espiritual, ou distúrbio mental? Para tal teremos de rever todo o historial do processo e da vida de Renato Seabra (não excluindo, a hipótese de fingimento).


Também não podemos negar a possibilidade de muitas pessoas estarem possuídas sem saber.


Os casos mais conhecidos levantam-me dúvidas, pois, na maior parte deles, há um historial que sugere a existência de distúrbio mental. Como no caso de Annaliese Michel, cuja história inspirou o filme "Exorcismo de Emily Rose", que aos 16 anos já tinha um historial de epilepsia e doenças mentais. A jovem vinha de uma família que era ultra-católica, mas, a família nunca lhe recusou o tratamento hospitalar, sendo que este foi negado pela própria, já maior de idade e solicitou exorcismos por 2 padres que se negavam a aceitar tratamento hospitalar. O resultado foi morte por doença mental e desnutrição.


Podemos afirmar que existe possessão? Sim, não, talvez... Cada um acredita naquilo que quer, mas, acreditar não implica se tornar inconsciente de cada situação, entregando-se de cabeça a uma possibilidade. Há que conhecer e saber ouvir, para depois avaliar em sã consciência. Mesmo que esteja possuído, não se deve negar ajuda médica, nunca se sabe o mal que o Mal faz ao corpo.


 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Terra já pode estar dentro de um buraco negro, diz cientista

O piloto que perseguiu o UFO entra em detalhes no programa Joe Rogan | VÍDEO

'Economia Precog', o trabalho do futuro